Arquivo mensal: março 2009

“Nunca trocamos tanta informação”

Sociólogo, doutor em Ciência Política e professor da Faculdade Casper Líbero, Sérgio Amadeu Silveira é um dos grandes estudiosos acadêmicos das possibilidades abertas na contemporaneidade pelas novas tecnologias. Ele fala de política e das mudanças:

Cultura – O que podemos afirmar sobre os anos 00 que estão terminando? – Acho que foram anos de grande expressão da diversidade cultura que aflorou com a internet e as tecnologias digitais. De modo geral as inovações digitais nos permitiram consolidar indícios de colaboração entre os indivíduos. Espalharam-se enormemente mecanismos de colaboração e de participação da opinião pública nos grandes debates. Há hoje uma enciclopédia virtual consolidada com o maior acervo que o mundo já viu. E se criou até um jargão, “web 2.0”, um jargão para uma imensa estrutura de colaboração em rede. Já nos 1990, o maior tráfico da rede já era de compartilhamento de arquivos peer-to-peer. Isso mostra uma tendência grande de uma parte considerável dos usuários de rede de compartilhar bens culturais, ao mesmo tempo em que essa prática entra em conflito com a reação da velha indústria cultural, que entra em crise mesmo tentando com todas as forças criminalizar o compartilhamento. É desse embate que estão saindo os novos modelos.

Sérgio Amadeu Silveira

Cultura – O senhor acha que essas novas formas de que fala vão mudar a relação entre a indústria cultural e o usuário? – Nunca a humanidade trocou tanta informação e bens simbólicos quanto nos anos 00. E se tivéssemos possibilidade de aferir isso, houve um aumento exponencial da produção desses mesmos bens. Nunca se falou tanto, nunca se escreveu tanto, as pessoas têm à disposição métodos de edição e publicação antes inimagináveis. A escassez de espaços de manifestação saiu da pauta. A escassez hoje é de atenção. Os anos 00 são os do acirramento do embate entre essas possibilidades jamais vistas de compartilhamento de informações e as tentativas do mundo pré-informacional de tentar limitar e combater essa prática. Tenta-se de todas as formas controlar a internet, parir leis que criminalizem práticas do internauta. Esse embate não se encerra ainda tão cedo.

Silveira

Cultura – O que devemos lembrar dos anos 00 no sentido político, com tantos acontecimentos traumáticos e inesperados? – Acho que são anos que demonstraram a ineficácia do recurso à violência, sinalizada pela derrota eleitoral dos partidários de George W. Bush, o presidente que radicalizou as ações políticas e levou-as até o patamar do conflito. Essa eleição de Obama é um símbolo de que os anos 00 terminam com reação: reação ao Império, reação à ideia de que teríamos uma única potência, uma única crença, um único sistema. São anos que a história não vai tratar indiferentemente, porque trazem a marca da agressão preventiva, instaurada pelo governo Bush, invadindo países com ou sem chancela dos organismos de legitimação.

Silveira

Cultura – Os anos 00 são de transformação? – Eles consolidaram a ideia de que a humanidade é maior do que uma cultura. O que é o terrorismo? É crime ou uma reação contra um poderio maior daquele que está sendo humilhado constantemente e vê nele a única forma de se manifestar? O terrorismo só será combatido derrubando muros, não construindo, temos de abrir possibilidade de negociação.

Silveira

Cultura – Como o futuro verá estes anos? – Como anos de grande trocas de informações, em que ocorreu a consolidação de uma grande esfera pública internacional e como o ano em que todo mundo acordou para o grande perigo. Hoje é consensual, mesmo nos Estados Unidos, que vivemos uma crise ambiental sem precedentes que pode liquidar o equilíbrio da existência humana no Planeta Terra.

Silveira

Fonte: ZERO HORA.com

Anúncios

Comitê para buscar novo diretor do Ibict

O Ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Machado Rezende, nomeou na quinta-feira, 12, os membros do Comitê de Busca que subsidiará o Ministério na escolha do novo diretor do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict).

O comitê é composto por Marisa Brascher Basílio Medeiros (UnB), Gil Anderi da Silva (USP), Sigrid Karin Weiss Dutra (UFSC), Kátia Maria Coelho de Carvalho Custódio (UFBA) e Avilio Antônio Franco (Embrapa), que preside o conselho. De acordo com o regimento interno da instituição, o diretor será nomeado a partir de lista tríplice elaborada pelo Comitê de Busca.

Atualmente, o Ibict é dirigido por Emir Suaiden, doutor em Ciência da Informação e professor da UnB, que assumiu a função em abril de 2005.

Fonte: Baguete

Haddad propõe mudanças no vestibular de universidade federal

O ministro da Educação Fernando Haddad, defendeu ontem a reformulação dos processos seletivos para ingresso nas universidades federais. A proposta do Ministério da Educação (MEC) é criar, em acordo com os reitores das universidades, um processo de seleção unificado para todo o país a ser testado em seleções no ano que vem. “Os vestibulares, como estão organizados hoje, privilegiam a memorização em detrimento da capacidade de raciocínio do aluno“, disse à Rádio CBN.

Para o ministro, o atual modelo dos vestibulares não estimula o aprendizado dos alunos de maneira crítica. A intenção é criar uma avaliação única para todas as federais em que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) seja usado na primeira fase. “Poderíamos complementar a segunda fase com conteúdos específicos”, propôs. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) ajudaria a desenvolver as provas da segunda fase. Atualmente, cada instituição desenvolve o seu próprio exame vestibular.

Com o modelo unificado, o estudante poderá se beneficiar mais da expansão das universidades federais. Como o processo seletivo seria o mesmo para ingresso em qualquer universidade federal, um aluno do Nordeste, por exemplo, poderia estudar numa instituição no Sul do país. “Hoje a rede federal está em mais de 200 municípios. São 227 mil vagas de ingresso em todo o Brasil”, lembrou Haddad.

Para a sustentação à mobilidade estudantil, o ministro destacou as ações do Plano Nacional de Assistência Estudantil. “São recursos para moradia, alimentação, restaurantes universitários, para garantir que a mobilidade não resulte em evasão”, explica. O ministro disse que vai propor aos reitores das universidades federais testar a medida em 2010. “Nem que seja numa área específica do conhecimento”, afirmou Haddad, acrescentando que a ideia é aplicar o processo seletivo unificado em cursos de baixa demanda, como nas licenciaturas.

Ontem, o MEC informou que os universitários que têm bolsas parciais do Programa Universidade para Todos (ProUni), que entraram na faculdade este ano ou que estejam em qualquer semestre, podem conseguir financiamento para pagar a parte da mensalidade não coberta pela bolsa. O prazo para se inscrever no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), exclusivamente para bolsistas do ProUni, vai até 20 de março. Estar matriculado em instituição de ensino superior privada que tenha aderido ao Fies em 2009 e ser bolsista parcial do ProUni são condições básicas para quem deseja obter financiamento estudantil.

 

Fonte: Clipping – Asscom-GM

Caçando pipas no ECIne

Nessa quinta feira, 02 de abril, o ECIne exibirá a adaptação cinematografica do grande sucesso literario “O Caçador de Pipas“,  obra de Khaked Hosseini, escritor afegão.

cacador-de-pipas07

O Caçador de Pipas
(Kite Runner, The, 2007)

» Direção: Marc Forster
» Duração: 122 minutos

» Sinopse:

Em um país dividido e à beira da guerra, dois amigos de infância, Amir e Hassan, estão prestes a se separarem para sempre. É uma gloriosa tarde em Kabul e os céus explodem com a alegria contagiante de um torneio de pipas. Mas, depois da vitória daquele dia, um terrível ato de traição de um menino irá marcar suas vidas para sempre e dar início a uma busca épica pela redenção. Agora, depois de viver nos Estados Unidos durante 20 anos, Amir volta para um perigoso Afeganistão, sob o governo mão-de-ferro do Talibã, para enfrentar os segredos que ainda o assombram e aproveitar a única e última ousada chance que tem para consertar as coisas.

 

No D.A., 02 de abril às 11:15 e às 17:30.

Resultado dos trabalhos aprovados no EREBD Sul, ECI marca presença

Saiu no ultimo dia 25 a listagem dos trabalhos aprovados no XI EREBD Sul – FURG, e mais uma vez a Escola de Ciência da Informação será representada dessa vez por 3 alunos, um escrito em conjunto com um aluno da UNESP, “A recuperação de informação  em trabalhos apresentados em encontros nacionais e regionais de estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência e Gestão da Informação: uma proposta de utilização do programa Open Conference Systems”  – Autores Hugo Oliveira P. e Silva, Josué Sales Barbosa e Lucas Carlos de Oliveira (UNESP) e o “Estudo de usuários de web e-mail a busca pela informação através dos portais eletrônicos”  da aluna  Gabrielle Francinne de Souza Carvalho

Lembrando que o EREBD Sul 2009 acontecerá na Fundação Universitária do Rio Grande na cidade de Rio Grande no RS entre os dias 17 à 20 de abril com o tema  Atuação do profissional da Informação frente aos desafiso da Comunicação Cientifica. Alguns alunos da ECI estão se movimentando para poderem ir ao evento, junte-se a nós.

Confira a lista de todos os trabalhos que serão apresentados no encontro aqui.

 

Uma das belezas da cidade que possue a maior praia do Brasil

Uma das belezas da cidade que possue a maior praia do Brasil

Dica de Livro: Diplomática e Tipologia Documental em Arquivos

Este livro trata da questão nuclear e essencial do trabalho do arquivista: o estudo e conhecimento da natureza, características e tipos dos documentos arquivísticos, tanto administrativos quanto jurídicos.

Essa é a seara da diplomática, onde a análise dos tipos de documentos se torna cada vez mais sistematizada em virtude de seu próprio caráter de indispensabilidade na formação e na prática profissional do arquivista.

Aqui se apresentam, sucintamente, os fundamentos de diplomática e de tipologia documental e suas metodologias. Introdução útil não apenas para os estudantes de arquivologia, mas também para os de outras ciências documentárias, além de estudantes de história e historiadores.

Esta é a segunda edição revista e ampliada do manual editado em 2002 com o título de Como fazer análise diplomática e análise tipológica de documentos de arquivo.

Fonte: Briquet Lemos

 
 

O livro custa no site da editora R$ 22,00
O livro custa no site da editora R$ 22,00

DIPLOMÁTICA E TIPOLOGIA DOCUMENTAL EM ARQUIVOS

Segunda edição revista e ampliada

Heloísa Liberalli Bellotto

Brasília: Briquet de Lemos / Livros, 2008

106 páginas

ISBN 978-85-85637-37-8

 

Reflexões contemporâneas sobre a ciência da informação- ECA/USP

recebido por e-mail

 

Nesta quinta, 16hs, o Prof. Aldo Barreto (IBICT) ministrará a aula
inaugural do Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação da
ECA/USP. O título do encontro será “Reflexões contemporâneas sobre a
ciência da informação”.

Todos alunos podem participar deste evento. Para aqueles que não
puderem vir, ou estejam em outras localidades do país, o evento será
transmitido on-line (AO VIVO) para o link
http://www.emm.usp.br/vivo-eca-cbd.asx (Windows Media Player), ou pela
http://www.iptv.usp.br

Data local: Quinta (26/03/09), 16hs . Auditório de Comunicações e Artes – CCA.

Será um encontro importante para discutir as questões que envolvem a
Biblioteconomia e a CI.

 

Semana da Ciência da Informação

Confirmada a data da Semana da Ciência da Informação, 06, 07 e 08 de maio. Será uma semana cheia de palestras e de discussões sobre a área, com convidados de Minas e até de fora. Aguarde detalhes.

Slides das palestras do dia 19

Ocorreu na ultima quinta, dia 19 uma sequencia de palestras no Auditório Azul da ECI. Com um publico que superou as espectativas, em todos os horarios, muitos solicitaram os slides das apresentações. abaixo seguem os links e e breve serão postadas as fotos e um breve resumo do que aconteceu no dia. Mais uma vez agradecemos a presença de todos e os professores que liberaram seus alunos para participarem do evento.

Palestra Adriana Bogliolo

Palestra Bernadete Campello

Palestra Eduardo Ribeiro

Arquivista com “A” maiúsculo.

  André Porto Ancona Lopez, foi o patrono da turma de Arquivologia do segundo semestre de 2006 da FACE-UnB. Em seu discurso na solenidade afirmou que aqueles formandos seriam Arquivistas com “A” maiúsculo. Leia mais na pagina “Coluna