Movimento estudantil

A porta dos fundos do ensino “superior”

Data de publicação: 24/02/2011

Data de publicação no Blog DA ECI: 18/03/2011

Por Reinaldo

Primeiro contato de muitos jovens com a faculdade começa com trotes violentos e humilhantes. O que esperar depois?

Todos os anos, nesta época, a triste cena se repete em dezenas de universidades. Calouros chamados de bichos são agredidos e obrigados a cumprir ordens de veteranos alterados e histéricos. Por vezes alguns desses novos universitários enfrentam situações ainda mais graves sofrendo traumas psicológicos, ferimentos e nos casos extremos, até mesmo a morte.

O mais comum é vermos jovens cobertos de tinta pedindo dinheiro nos cruzamentos para a compra de bebidas alcoólicas. As pessoas, com algumas poucas exceções, observam esse espetáculo, mais parecido com um circo de horrores, com complacência e mesmo simpatia. Claro, diriam muitos deles, são jovens comemorando um momento especial de suas vidas. Será mesmo?

Então, vejam abaixo algumas das manchetes de imprensa selecionadas aleatoriamente nas duas últimas semanas:

– Trotes com álcool levam calouros a posto médico;

– Faculdade é criticada por trote violento;

– Trote teve direito a desfile de “bixetes” sobre passarela de calouros;

– Universidade investiga trote com fezes de animal e urina;

– Três calouros são internados em coma alcoólico após trote.

(Tomei o cuidado de não citar os estabelecimentos e as cidades, pois fiz apenas um apanhado sem qualquer pretensão estatística, só ilustrativa).

Bem, diante desses fatos fartamente divulgados pelos veículos de comunicação, proponho uma reflexão:

O que esperar do futuro desses jovens? Qual a responsabilidade desses estabelecimentos ditos de ensino superior?

Os administradores dessas faculdades e universidades costumam fazer vistas grossas aos trotes. A alegação mais comum é de que não é possível controlar a ação dos estudantes que ocorrem em pontos diversos, muitas vezes fora do estabelecimento de ensino.

Lavar as mãos não parece ser a atitude correta de dirigentes universitários responsáveis pela formação das futuras lideranças do país. É preciso romper esse círculo vicioso e gratuito, e criar junto com seus estudantes, familiares e funcionários, alternativas mais amigáveis e construtivas.

Esses mesmos gestores, que nada fazem diante de casos de trotes violentos, deveriam refletir se estão realmente contribuindo para a formação de homens e mulheres aptos a construir um mundo melhor para se viver. Algo tão marcante para um jovem, que é o ingresso numa faculdade, não deveria ocorrer de uma maneira mais positiva e gratificante a ser lembrado pelo resto de suas vidas?

Continue lendo: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/a-porta-dos-fundos-do-ensino-superior

Estudantes protestam contra preço de refeitório durante visita de ministro

Data de publicação: 28/02/2011

Data de publicação no Blog DA ECI: 18/03/2011

Por G1

A visita do ministro da Educação Fernando Haddad à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), nesta segunda-feira (28) foi marcada por protesto de estudantes contra o preço cobrado no novo refeitório da universidade. O novo restaurante cobra R$ 3 por refeição.

O restaurante universitário da UFPE havia sido fechado há 20 anos. O novo restaurante, com 1,2 mil m², vai oferecer 3,8 mil refeições por dia. O custo das obras foi de R$ 4,5 milhões. Os recursos são oriundos do Programa Nacional de Assistência Estudantil, que deve repassar este ano às universidades federais mais de R$ 380 milhões.

Corte no orçamento não vai afetar educação, diz ministro

O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse nesta segunda-feira (28) que o corte de R$ 3,1 bilhões no orçamento do governo federal para a educação não vai afetar os programas do MEC, como o Enem, ProUni, Fies, e Reuni, entre outros. Ao todo, o governo vai cortar R$ 50 bilhões. Haddad participou de uma cerimônia na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com a inauguração do novo restaurante universitário.

“Nosso orçamento iria de R$ 62 bilhões para R$ 70 bilhões. Agora vai para R$ 69 bilhões. Em 2002, era de R$ 17 bilhões. Os compromissos estão mantidos. E para seguir o ritmo da expansão da educação superior, quero tranquilizar a todos que cumpriremos a nossa parte”, disse o ministro.

De acordo com o MEC, do total a ser cortado, cerca de R$ 2 bilhões são de emendas parlamentares. A pasta vai analisar quais tipos de despesa terá que cortar para fazer a economia referente ao R$ 1 bilhão restante. O orçamento do MEC previsto para 2011 era de R$ 69 bilhões.

Continue lendo:  http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2011/02/estudantes-protestam-contra-preco-de-refeitorio-durante-visita-de-ministro.html

Estudantes exigem da reitoria da UnB um lugar para morar até o fim da reforma da CEU

Data de publicação: 02/03/2011

Data de publicação no Blog DA ECI: 18/03/2011

Poe Agência Brasil

Os dois prédios da Casa do Estudante Universitário (CEU) da Universidade de Brasília (UnB) serão reformados e seus 368 moradores deverão desocupá-los até a próxima sexta-feira (4/3), conforme determinação da Diretoria de Desenvolvimento Social (DDS). No entanto, um grupo de cerca de 50 alunos exige que a administração da UnB apresente uma alternativa de moradia dentro do câmpus Darcy Ribeiro. Na tarde desta quarta-feira (2/3), eles protocolaram junto à reitoria um documento formalizando a reivindicação.

O grupo considera insatisfatórias as opções apresentadas pela administração para o período em que a CEU estiver em reforma. Os estudantes teriam que escolher entre receber um auxílio-moradia no valor de R$ 510 ou morar em apartamentos alugados e gerenciados pela DDS, que alojariam quatro alunos e poderiam consumir um total de R$ 2.040 em despesas de aluguel, condomínio, taxa de energia e IPTU. “Os R$ 510 não dão conta dos gastos que teríamos com moradia, transporte, alimentação. E os apartamentos que eles ofereceram têm localização ruim”, resume a estudante de física Gleysiele Barbosa Martins, de 24 anos.

No documento entregue à reitoria, os estudantes propõem que seja feita a reforma de um prédio de cada vez, de modo que o grupo fique em um dos blocos. Caso a sugestão não seja acatada, os moradores pedem para que a administação da UnB ceda apartamentos na Colina — quadra reservada exclusivamente à moradia de professores e funcionários da universidade — para os 50 estudantes. “Ainda não obtivemos resposta da reitoria”, informa o advogado do grupo, Gilson dos Santos. “Se a universidade não aceitar nenhuma de nossas sugestões, os alunos não vão desocupar a CEU. O reitor vai ter que entrar com medida judicial”, antecipa Santos.

Continue lendo: http://www.correioweb.com.br/euestudante/noticias.php?id=17980

Conselho Nacional de Entidades de Base da UNE (União Nacional dos Estudantes)- CONEB

Data de publicação: 31/01/02011

Data de publicação no Blog DA ECI: 18/02/11

Por Diretório Acadêmico do Curso de Arquivologia – Santa Maria

Realizou-se nos dias 14 a 17 de janeiro de 2011, na cidade do Rio de Janeiro – RJ, campus Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, o 13° Conselho Nacional de Entidades de Base – CONEB da União Nacional dos Estudantes – UNE que teve como tema central: “Nas ruas de hoje, o Brasil de amanhã”. Mantendo firme a idéia de como temas atuais como Pré-sal, homofobia e PNE interferem em nossa vida acadêmica. Foram debatidos vários temas contemporâneos onde se observou as reivindicações de estudantes do Brasil inteiro em busca de um movimento estudantil fortalecido e com metas bem definidas para este ano que se inicia.

Por sua vez, o Diretório Acadêmico do Curso de Arquivologia- DACAR não se mostrou relapso ao CONEB, mandando duas representantes a fim de preservar os ideais e opiniões que os estudantes de Arquivologia da UFSM defendem. Lutando ao lado de companheiros de diversos DA’s e do DCE da UFSM juntamente com colegas de outras instituições. Defendemos as propostas da Reconquistar a UNE, lembrando sempre de mostrar aos demais companheiros o que os estudantes do nosso curso pensam em relação ao tema.
Através de manifestos e debates (tanto no evento quanto no alojamento), a Reconquistar a UNE mostrou-se bem articulada em relação aos temas abordados em todo o evento. Tendo a participação de estudantes destinados a defender idéias coerentes com a realidade enfrentada no movimento estudantil.

As acadêmicas Daiane Pradebon (comissão de eventos) e Geisi Antonello (presidente), representantes do DACAR, mantiveram-se atentas a todos os debates em que participaram e podem esclarecer dúvidas que surjam aos estudantes do curso de Arquivologia da UFSM. Ressaltando que as mesmas já conheciam a tese defendida pela Reconquistar a UNE, antes do inicio do evento, o que garantiu grande conformidade com os ideais defendidos pelo nosso diretório.

E recomenda-se para todos os colegas um repensar sobre o papel da UNE perante o movimento estudantil, será que temos uma real representação nacional dos estudantes ou apenas uma troca de interesses? Afinal, “UNE. UNE é pra lutar! É pra lutar!”

Fonte: http://dacarsm.blogspot.com/2011/01/conselho-nacional-de-entidades-de-base.html

Professor da UnB processa alunos que criticaram ensino

Data de publicação: 10/02/2011

Data de publicação no Blog DA ECI: 18/02/2011

Por Andreza Matias

Um professor de arquitetura da UnB (Universidade de Brasília) entrou na Justiça contra três alunos que criticaram seu método de ensino. Ele pede indenização por danos morais de R$ 20 mil, valor que compensaria sua “dor íntima”, conforme registrou na ação.

No início da semana, uma outra professora, Mônica Valero, do Departamento de Ciências Farmacêuticas, ganhou indenização de R$ 8.500 numa ação que moveu contra 17 ex-alunos que, em 2005, divulgaram um documento em que a acusavam de não dominar a disciplina que lecionava.

As críticas ao professor de arquitetura foram registradas em duas cartas sem ofensas pessoais assinadas pelo centro acadêmico e encaminhadas à diretoria da faculdade de arquitetura em julho do ano passado.

O professor Neander Furtado, que ministra a disciplina de Projetos, só ingressou com a ação em janeiro deste ano, seis meses depois do ocorrido.

“Eu estava usando métodos modernos, mas muitos preferiam continuar fazendo projetos com lápis e papel”, disse ao portal da UnB na internet. Ele não foi localizado pela Folha.

Um dos problemas apontados pelos alunos é que o professor do segundo semestre não utilizava o ateliê, para que pudessem aprender na prática, por exemplo, como fazer uma maquete.

O professor também não gostou do protesto dos alunos que amontoaram carteiras e colaram cartazes nas paredes com letras de músicas de Chico Buarque e Tom Zé após o conselho da faculdade avalizar o método do professor. A UnB informou ontem que diante do impasse foi criada uma comissão para avaliar todo plano de ensino da faculdade.

Apesar de ter sido assinada pelo centro acadêmico, a ação foi movida contra três alunos que integravam o colegiado. Mariana Bomtempo, Luiz Eduardo Araujo e Lívia Silva Brandão serão defendidos por Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, advogado de políticos e empresários.

Kakay disse que vai entrar com ação contra o professor por ele estar usando o Judiciário para intimidar os alunos. O filho dele é estudante de arquitetura. “Ninguém ofendeu o professor. Esperamos justiça”, disse Bomtempo.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/saber/873916-professor-da-unb-processa-alunos-que-criticaram-ensino.shtml

Revoltados com descredenciamento, alunos tentam invadir a FTB

Data de publicação: 02/02/2011

Data de publicação no Blog DA ECI: 18/02/11

Por Thalita Lins

Revoltados, cerca de 150 alunos da Faculdade da Terra (FTB) tentaram invadir o câmpus II da instituição, localizado em Samambaia próximo a BR-060, na manhã desta quarta-feira (2/2). O motivo seria uma reação ao descredenciamento da FTB pelo Ministério da Educação (MEC) publicado na segunda-feira (31/1) no Diário Oficial da União por conta de irregularidades no funcionamento da faculdade.

Os alunos estavam desde às 8h tentando entrar na FTB. Eles queriam pegar documentos, como de transferência e recursos de diploma. Os estudantes informaram que haviam sido encaminhados pela própria instituição ao câmpus II, onde estariam os documentos. O outro câmpus da FTB está localizado no Recanto das Emas.

Por volta das 11h, um carro do Ministério da Educação conseguiu entrar no câmpus. Os alunos aproveitaram para invadir também. Apesar disso, nenhum deles conseguiu a documentação. Cerca de 20 minutos depois, todos foram retirados pela Polícia Militar, que fazia a segurança do local.

Representantes do MEC estiveram no local e comunicaram aos alunos de que na sexta-feira (4/2) haverá uma reunião às 16h com integrantes das turmas para que eles recebam um posicionamento em relação aos documentos. A FTB anunciou que se reunirá com alunos no câmpus I.

Fonte: http://www.correioweb.com.br/euestudante/noticias.php?id=17356

Estatuto da Juventude vai a Plenário após mudanças em texto

Data de publicação: 23/11/2010

Data de publicação no Blog DA ECI: 29/11/2010

Por Maria Neves

No texto aprovado pela comissão, a relatora retirou os trechos considerados polêmicos pelos parlamentares.

Comissão especialComissão temporária criada para examinar e dar parecer sobre projetos que envolvam matéria de competência de mais de três comissões de mérito. Em vez de tramitar pelas comissões temáticas, o projeto é analisado apenas pela comissão especial. Se aprovado nessa comissão, segue para o Senado, para o Plenário ou para sanção presidencial, dependendo da tramitação do projeto. aprovou nesta terça-feira o Estatuto da Juventude. Entre outras medidas, o texto prevê transporte público gratuito para os estudantes e meia passagem nos transportes interestadual e intermunicipal para os jovens de 15 a 29 anos. Esses benefícios serão subsidiados pelo governo para evitar reajuste de tarifa.

A proposta aprovada é o substitutivo da deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS), ao Projeto de Lei 4529/04, que agora segue para análise do Plenário. Para conseguir consenso, a relatora retirou do parecer trechos considerados polêmicos pelos parlamentares.

Um deles permitia às entidades juvenis participar de órgãos da administração pública e de escolas públicas e privadas. Essa participação se daria, por exemplo, com a eleição de representantes para integrar órgãos diretivos e conselhos universitários.

Também foi retirado do parecer o direito das entidades de realizar manifestações, assembleias e outras reuniões em escolas, empresas, partidos políticos e sindicatos, entre outros.

Transporte gratuito
Outro ponto controverso do substitutivoEspécie de emenda que altera a proposta em seu conjunto, substancial ou formalmente. Recebe esse nome porque substitui o projeto. O substitutivo é apresentado pelo relator e tem preferência na votação, mas pode ser rejeitado em favor do projeto original.   era a previsão de transporte público gratuito para estudantes e meia passagem nos transportes interestadual e intermunicipal para os jovens de 15 a 29 anos. Havia o temor de que esses benefícios tornassem a passagem mais cara para os demais usuários.

Para evitar o problema, a deputada acrescentou ao parecer a determinação de que essas medidas sejam subsidiadas com recursos do Orçamento, e não com reajuste tarifário. “Em nosso sistema equivocado não há subsídio para os transportes. Toda vez que criamos um benefício, os custos acabam sendo repassados aos demais passageiros”, justificou a relatora.

Manuela D’Ávila ressaltou também que o estatuto ainda será discutido e votado pelo Plenário, onde poderá sofrer modificações. “Haverá espaço para os demais deputados, que não participaram da comissão especial, opinarem sobre o texto.”

Além dos benefícios na área de transportes, o estatuto assegura uma série de direitos, como meia-entrada para estudantes em eventos culturais e de lazer e financiamento estudantil em faculdades privadas reconhecidas pelo Ministério da Educação. O texto também prevê ações afirmativas para garantir o acesso ao ensino superior a jovens negros, indígenas, com deficiência e oriundos de escola pública.

Parlamento Jovem
O presidente da comissão especial, deputado Lobbe Neto (PSDB-SP), salientou que o estatuto foi aprovado no momento em que ocorre a sétima edição do Parlamento Jovem, cujo tema é “O Jovem e o Mercado de Trabalho”. Durante esta semana, 77 estudantes de 16 a 22 anos participarão de atividades parlamentares simuladas, com apresentação de projetos, debates e votações nas comissões e no plenário.

Eleito presidente desta edição, Thiago Martins, do Rio de Janeiro, acredita que o estatuto irá contribuir para “a transformação da vida da juventude brasileira”. Ele considera importantes medidas como a previsão de ações afirmativas e de transporte gratuito para estudantes. “A integração da identidade nacional depende desse tipo de política pública”, disse.

Fonte: http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/DIREITOS-HUMANOS/151466-ESTATUTO-DA-JUVENTUDE-VAI-A-PLENARIO-APOS-MUDANCAS-EM-TEXTO.html

Entidades estudantis defendem criação de instituto federal para aplicar Enem

Data de publicação: 09/11/2010

Data de publicação no Blog DA ECI: 14/11/2010

Por Folha.com

Após criarem uma central de reclamações sobre o Enem, a UNE (União Nacional dos Estudantes e a Ubes (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) voltaram a divulgar nota sobre o exame nesta terça-feira. A entidades defenderam a criação de um instituto federal para aplicar a prova.

Elas afirmam que são contra a anulação da prova —suspensa ontem por ordem da Justiça Federal–, mas defendem que os estudantes prejudicados pelos erros no cartão de respostas e na impressão de algumas provas tenham direito de fazer outro exame.

Os representantes dos estudantes também voltaram a pedir uma retratação do MEC pelas ameaças a estudantes feitas pelo Twitter (rede de microblogs). No domingo (7), durante a aplicação da segunda prova, o MEC e o Inep, órgão do ministério responsável pelo Enem, divulgaram a seguinte mensagem: “Alunos q [que] já ‘dançaram’ no Enem tentam tumultuar com msgs [mensagens] nas redes sociais. Estão sendo monitorados e acompanhados. Inep pode processá-los”.

O MEC diz que o monitoramento dizia respeito “a quem dizia utilizar celular durante a prova, e não aos comentários na rede”.

Veja a íntegra da nota

Em relação ao Enem 2010, a UNE e a Ubes voltam a se manifestar publicamente:

1. A UNE e a Ubes se posicionam contra a anulação do Enem 2010. Milhões de estudantes realizaram a prova em condições adequadas, prepararam-se, e a anulação da prova seria cometer uma injustiça com esta grande maioria.

2. A UNE e a Ubes são intransigentes na defesa de que os estudantes prejudicados tenham o direito a realizar uma nova prova. Nenhum estudante pode ser prejudicado sob o risco de descredibilizar o Enem.

3. A UNE e a Ubes exigem que o MEC determine objetivamente os critérios para que os estudantes tenham direito a este novo exame. Se o MEC não tiver condição de determinar estes critérios, a UNE defende que o critério seja opcional, ou seja, todos aqueles que se disserem prejudicados devem ter o direito a esta nova prova. O estudante que optar por não fazer esta nova prova deve ter garantida a sua nota inicial.

4. A UNE e a Ubes permanecem aguardando a retratação do MEC em relação ao post publicado no Twitter da assessoria de comunicação social do Ministério da Educação.

5. A UNE a Ubes reivindicam a criação de um instituto federal que será o responsável pela aplicação das provas do Enem.

6. A UNE a Ubes reivindicam ainda a marcação de uma audiência com o ministro da Educação para que representantes das entidades estudantis e um grupo de estudantes prejudicados possam discutir os problemas ocorridos no Enem.

7. Defender o Enem é, antes de tudo, corrigir os seus erros. A UNE e a Ubes voltam a ressaltar que não se somam àqueles que se utilizam de equívocos para derrotar o Enem. Na opinião da UNE e da Ubes, o Enem deve se consolidar na direção da democratização da universidade brasileira como são os casos do ProUni e da seleção de dezenas de universidades federais pelo país, superando o velho modelo do vestibular, cruel método de acesso ao ensino superior no pais. O Enem é também elemento fundamental na construção do Sistema Nacional da Educação.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/saber/828212-entidades-estudantis-defendem-criacao-de-instituto-federal-para-aplicar-enem.shtml

Centros Acadêmicos discutem trote solidário na UnB

Data de publicação: 18/08/2010

Data de publicação no Blog DA ECI: 21/08/2010

UnB Agência

Reunião dos CAs com Diretoria de Esporte, Arte e Cultura tratou também da realização de festas e eventos culturais

Representantes dos Centros Acadêmicos (CAs) da UnB da Diretoria de Esporte, Arte e Cultura (DEA), reuniram-se na tarde desta quarta-feira, 18 de agosto, para discutir parãmetros para a realização de festas, trotes e atividades esportivas e culturais.

Lucila Souto Mayor, diretora do DEA, chamou atenção para a importância de se acompanhar a legislação que trata do trote nas universidades. “A postura do elefantinho; os xingamentos a outros cursos, essas brincadeiras não podem continuar”, disse. Ela lembrou que a UnB está construindo uma cartilha que busca resgatar a cultura do trote solidário e recuperar o significado do ritual na história das universidades. “Também estamos tentando ações educativas no ensino médio para que o aluno entre na universidade com o conhecimento do que é o trote”.

Segundo Thiago Marinho, do CA de Sociologia (CASO), durante encontros entre representantes de C.As e do Diretório Central dos Estudantes (DCE), surgiram algumas propostas para solucionar o problema do trote violento na universidade, como a criação de uma comissão de avaliação de trotes que seja composta pela administração da UnB, pelo DCE e pelos CAs. “O trote violento que ridiculariza e humilha tem que acabar. Quando estou em minha casa, não recebo convidados com farinha e latas de tintas. Temos que dar mais ênfase e mais visibilidade ao trote solidário”, ressaltou.

Continue lendo: http://www.correioweb.com.br/euestudante/noticias.php?id=13323

Audiência pública  do meio-passe que vai ter sexta-feira agora, 28 de maio, às 9 horas na Câmara dos Vereadores

A luta do meio passe é histórica em BH, e aqui  é a única capital que não tem nenhum beneficio para os estudantes, a prefeitura tem uma proposta super atrasada de liberar o passe só pra quem tem bolsa família, o que exclui os universitários.

Por isso temos que participar desta audiência, porque, senão, só vai ter meio-passe quem mobiliza, que são os secundaristas, em virtude das grandes mobilizações que eles estão travando que essa audiência foi marcada pela Câmara.

Nesse sentido, convocamos a todos para irem na audiência, vamos sair sexta da entrada do primeiro andar da FAFICH às 8h..então se programem para irem e ajudem a mobilizar..

Outra coisa importante sobre a audiência é que desde quinta feira osuniversitários vão fazer uma vigília na Câmara de Vereadores, o que consiste 

em um ato simbólico para pressionar o governo, a partir das 18 horas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: